Maria Baptista dos Santos Guardiola (1895-1987)
Portuguese Mathematician.

 

Maria Baptista dos Santos Guardiola nasceu a 13 de janeiro de 1895, em Bragan√ßa. Filha de Ant√≥nio Augusto dos Santos Guardiola, empregado p√ļblico e de Maximina Rosa Mendon√ßa, "empregada ao servi√ßo de sua casa".

Ingressou na Universidade de Coimbra no ano letivo de 1914/1915, ano no qual s√≥ duas mulheres o fizeram, no 1¬ļ ano do Curso de Matem√°tica. Nesta Universidade estudariam vinte e quatro mulheres (Gomes, 1987, p. 34). Maria Guardiola foi contemplada com uma bolsa de estudo, atendendo aos parcos rendimentos da fam√≠lia, expostos no Anu√°rio da UC de 1914/1915 (p. 63), bem como premiando os vinte valores obtidos no exame do Curso Complementar de Ci√™ncias do Liceu (Gomes, 1987, p. 35). Depois de terminar o Curso Liceal fez o Curso do Magist√©rio Prim√°rio. Desta mesma fam√≠lia de Bragan√ßa, foi estudar para Coimbra, neste mesmo ano lectivo, Alice Augusta dos Santos Guardiola, irm√£ de Maria, que foi cursar Ci√™ncias F√≠sico-Qu√≠micas. Tamb√©m foi bolseira pelas mesmas raz√Ķes da irm√£, tendo concluido o exame do Curso Complementar do Liceu com 16 valores

A sua fam√≠lia n√£o tinha rendimentos a n√£o ser os que o pai trazia para casa do seu emprego de "2¬ļ aspirante dos correios e tel√©grafos" (Gomes, 1987, p. 34). As duas irm√£s fizeram o Curso juntas, o qual concluiram em 1918/1919. Maria Guardiola obteve as seguintes classifica√ß√Ķes: (cf. Ci√™ncias, Reforma de 1911, Exames singulares e de grupos de disciplinas. (s.d.), Servi√ßos Acad√©micos da UC, Inclui as classifica√ß√Ķes por disciplina at√© 1915/1916, p.172 e verso):           

1¬ļ ano  

  • √Ālgebra Superior; Geometria Anal√≠tica e Trigonometria Esf√©rica: 18
  • Geometria Descritiva e Estereotomia: 18
  • Qu√≠mica (Curso Geral): 16
  • Desenho Rigoroso (tra√ßado e aguarelas): 16

2¬ļ ano  

  • C√°lculo diferencial, integral e das varia√ß√Ķes: 18
  • Geometria Projetiva: 18
  • F√≠sica (Curso Geral): 16
  • Desenho de M√°quinas: 17

3¬ļ ano  

  • An√°lise Superior: 18
  • Mec√Ęnica Racional: 18
  • Astronomia e Geodesia: 18
  • C√°lculo das Probabilidades: 18
  • Desenho Topogr√°fico: 17

4¬ļ ano  

  • Mec√Ęnica Celeste: 18
  • F√≠sica Matem√°tica: 18

Obteve a média final de 18 valores só sendo igualada até 1961/62 por mais duas mulheres: uma em 1949/50 e a outra em 1952/53.

No ‚ÄúLivro de Informa√ß√Ķes de Bacharelatos da Faculdade de Ci√™ncias 1914 a‚ÄĚ (p. 172 e verso), Maria Guardiola aparece como bacharel (uma de tr√™s alunos, sendo 15 e 19 valores as m√©dias obtidas pelos seus dois colegas homens). O bacharel com m√©dia de 19 valores era Gumersindo Sarmento da Costa Lobo que viria a ser professor da Sec√ß√£o das Ci√™ncias Matem√°ticas.

Em 1918/1919, ingressou na Escola Normal Superior - Magist√©rio Liceal, que concluiu no ano lectivo seguinte. Foi, a partir de 1920, professora nos liceus femininos Infanta D. Maria (Coimbra), Almeida Garrett (Lisboa), Carolina Micha√ęlis (Porto e aqui j√° efectiva) e Maria Am√°lia Vaz de Carvalho, onde foi Reitora de 1928 a 1946. Exerceu os seguintes cargos no dom√≠nio da Educa√ß√£o (Pimentel, 2001, p. 421):

  • Vogal do Conselho Superior de Instru√ß√£o P√ļblica (1930)
  • Vice-presidente da 3¬™ Sec√ß√£o da Junta Nacional de Educa√ß√£o (1936-1940)
  • Inspectora do Ensino Liceal (1947-1957)

Foi ainda Inspectora Superior (1956-1963) e Reitora e Presidente do Conselho Administrativo do Liceu Rainha D. Leonor (entre Maio e Setembro de 1949). Em 1963, com quase 70 anos e j√° aposentada, foi indigitada para a Comiss√£o Permanente das Obras Circum-Escolares e Sociais do Ensino Superior.

No dom√≠nio pol√≠tico e das organiza√ß√Ķes do Estado, foi uma mulher muito presente e digamos eleita (Pimentel, 2001, p.421), j√° que foi uma das tr√™s primeiras deputadas √† Assembleia Nacional (AN) (1935-1945) juntamente com Domitila de Carvalho e Maria C√Ęndida de Oliveira Parreira. Nesta qualidade, participou no debate da reforma educativa de Carneiro Pacheco (1936), defendendo o fim das provas orais, o livro √ļnico de Leitura, Hist√≥ria e de Forma√ß√£o Moral e C√≠vica, bem como o comp√™ndio √ļnico de Filosofia. Foi sempre uma ac√©rrima defensora da orienta√ß√£o do ensino estatal pelos "princ√≠pios da doutrina moral e crist√£ (...)". Mais tarde, em 1952, interveio na AN sobre o analfabetismo aquando da discuss√£o do Plano de Educa√ß√£o Popular e a Campanha Nacional de Educa√ß√£o de Adultos.

 

No Pal√°cio da Assembleia Nacional, Domitila de Carvalho, Pinto da Mota, Maria C√Ęndida Parreira e Maria Baptista Guardiola. 1935. AN-TT.

 

Pertenceu √† Junta Central da Obra das M√£es pela Educa√ß√£o Nacional (OMEN) desde a sua funda√ß√£o (1936- primeiro como Vogal e depois como Vice-presidente at√© √† extin√ß√£o, em 1974, quando tinha quase 80 anos). Na OMEN defendeu sempre a ¬ęreeduca√ß√£o das mulheres¬Ľ (Pimentel, 2001, p.421).

Foi indigitada pelo Ministério da Educação Nacional, Comissária Nacional da Mocidade Portuguesa Feminina (MPF), cargo que ocupou de dezembro de 1937 a 1968 e do qual foi exonerada a seu pedido, com mais de 70 anos. Foi este lugar que, diríamos, lhe deu maior protagonismo nacional: defendeu e dirigiu esta organização com carisma fazendo sempre a apologia da "educação integral, moral, cristã e nacionalista das jovens portuguesas para a formação do carácter, o desenvolvimento da capacidade física, a cultura do espírito e a devoção ao serviço social, no amor de Deus, da Pátria e da Família e para o cabal desempenho da missão da mulher na família, no seu meio e na vida do Estado" (Pimentel, 2001, p.421);

Foi membro da Sec√ß√£o Auxiliar Feminina da Cruz Vermelha Portuguesa. 

A sua dedica√ß√£o ao regime e √†s miss√Ķes que lhe eram atribu√≠das foi reconhecida e condecorada por Ant√≥nio de Oliveira Salazar com o grau de comendador (1931) e com a ordem de grande oficial da Instru√ß√£o da Fun√ß√£o P√ļblica (1939). Recebeu a cruz Pro Ecclesia et Pontifice (1957) atribu√≠da pelo Papa Pio XII. Em 1966, foi eleita membro honor√°rio da Ordem da Instru√ß√£o P√ļblica e recebeu a sua Gr√£-Cruz. 

Embora carism√°tica e decisiva na consolida√ß√£o dos preceitos educativos do EN, Maria Guardiola n√£o deixou "obra publicada a n√£o ser a sua tese de licenciatura sobre O ensino da Aritm√©tica nos liceus e a disserta√ß√£o Estudo das sec√ß√Ķes c√≥nicas, apresentada no exame de Estado na ENS (1920?)" (Pimentel, 2001, p.422).

N√£o casou, n√£o teve filhos e faleceu no dia 27 de Setembro de 1987, com 92 anos.

 

References

  • Maria Baptista dos Santos Guardiola, wikip√©dia
  • NUNES, Jo√£o Lu√≠s da Costa,  As primeiras mulheres Matem√°ticas na Universidade de Coimbra (licenciadas, assistentes e doutoras) (1891-1986). 

Notes

Trabalho de investiga√ß√£o iniciado em 2011 por Jo√£o Lu√≠s da Costa Nunes, licenciado e mestre em Matem√°tica pela Universidade de Coimbra (UC), professor no Agrupamento de Escolas Lima-de-Faria - Cantanhede. Os dados foram recolhidos nos Anu√°rios da  UC, em livros de actas referentes a informa√ß√Ķes de conclus√£o de Curso, depositados no Arquivo ou nos Servi√ßos Acad√©micos da UC. Foram ainda consultadas certid√Ķes de nascimento e fichas individuais de algumas alunas e efectuadas algumas entrevistas √†s pr√≥prias ou a familiares. Todas as informa√ß√Ķes apresentadas s√£o as que constam dos documentos consultados e que foi poss√≠vel encontrar.

CONTEXT(Help)
-
Portuguese Women Scientists: Historical Overview ¬ĽPortuguese Women Scientists: Historical Overview
Mathematics ¬ĽMathematics
Maria Baptista dos Santos Guardiola (1895-1987)
+Comments (0)
+Citations (0)